Doses de reforço da vacina

Última atualização do conteúdo em 27 de junho de 2022

As recomendações atualizadas do Centers for Disease Control and Prevention (CDC, Centro de Controle e Prevenção de Doenças) e do Western States Scientific Safety Review Workgroup (Grupo de Trabalho de Análises Científicas de Segurança dos Estados do Oeste) em relação às doses de reforço são as seguintes:

  • Crianças com idade entre 5 e 11 anos devem receber uma dose de reforço cinco meses após terem tomado as doses. Crianças imunossuprimidas devem receber a dose de reforço pelo menos três meses após terem tomado as doses iniciais da vacina.
  • Todas as pessoas com 12 anos de idade ou mais devem receber uma dose de reforço cinco meses após terem tomado as doses iniciais da vacina da Pfizer ou da Moderna ou dois meses após terem recebido a dose única da vacina da Johnson & Johnson (J&J).
  • Todas as pessoas com 50 anos de idade ou mais devem tomar a segunda dose de reforço quatro meses após terem recebido a primeira dose.
  • Indivíduos com 12 anos de idade ou mais e com grau de imunossupressão moderado ou grave devem tomar a segunda dose de reforço quatro meses após terem recebido a primeira dose.
  • Pessoas com 18 anos de idade ou mais que receberam uma dose inicial e uma dose de reforço da vacina da J&J há pelo menos quatro meses, agora, poderão receber uma segunda dose de reforço da vacina de mRNA contra a COVID-19
Se você recebeu a vacina da... Quem deve receber a dose de reforço da vacina Quando receber a dose de reforço da vacina Qual vacina tomar na dose de reforço Posso receber uma segunda dose de reforço?
Pfizer-BioNTech Pessoas com 5 anos de idade ou mais Pelo menos cinco meses após a administração da segunda dose

De preferência*, Pfizer ou Moderna

Pessoas com até 17 anos de idade podem receber apenas a vacina da Pfizer

Pessoas com mais de 50 anos de idade e determinados indivíduos imunocomprometidos agora poderão receber uma dose de reforço adicional da vacina de mRNA contra a COVID-19 após quatro meses ou mais desde que tomaram sua última dose de reforço.
Moderna Pessoas com 18 anos de idade ou mais Pelo menos cinco meses após a administração da segunda dose De preferência*, Pfizer ou Moderna Pessoas com mais de 50 anos de idade e determinados indivíduos imunocomprometidos agora poderão receber uma dose de reforço adicional da vacina de mRNA contra a COVID-19 após quatro meses ou mais desde que tomaram sua última dose de reforço.
Johnson & Johnson Pessoas com 18 anos de idade ou mais Pelo menos dois meses após a administração da dose única De preferência*, Pfizer ou Moderna

Pessoas com mais de 50 anos de idade e determinados indivíduos imunocomprometidos agora poderão receber uma dose de reforço adicional da vacina de mRNA contra a COVID-19 após quatro meses ou mais desde que tomaram sua última dose de reforço.

Adultos que receberam uma dose inicial e uma dose de reforço da vacina Janssen da Johnson & Johnson há pelo menos quatro meses agora poderão receber uma segunda dose de reforço da vacina de mRNA contra a COVID-19.

*As vacinas de mRNA são a recomendação preferencial, mas a da Johnson & Johnson ainda está disponível caso você não consiga ou não esteja disposto a receber outra vacina.

Doses para pessoas imunossuprimidas

Se você tem um grau de imunossupressão moderado ou grave, as recomendações poderão variar.

Se você recebeu...

Devo tomar uma terceira dose?

Posso tomar uma dose de reforço?

Total de doses

Pfizer: Duas doses administradas com 21 dias de intervalo para indivíduos com 5 anos de idade ou mais

Sim, indivíduos com 5 anos de idade ou mais, com grau de imunossupressão moderado ou grave, devem tomar uma dose adicional 28 dias após terem recebido a segunda dose.

Sim. Para que as crianças com idade entre 5 e 11 anos estejam com todas as doses em dia, recomenda-se tomar uma dose de reforço da vacina de mRNA da Pfizer três meses após receber a última dose.

Não é recomendado que crianças com idade entre 5 e 11 anos tomem uma segunda dose de reforço de mRNA.

4

Sim. Para que indivíduos com 12 anos de idade ou mais estejam com todas as doses em dia, recomenda-se tomar uma dose de reforço da vacina de mRNA três meses após receber a última dose.

Indivíduos com 12 anos de idade ou mais devem tomar uma segunda dose de reforço de mRNA quatro meses após terem recebido a primeira dose de reforço.

Pessoas com até 17 anos de idade só podem tomar a vacina da Pfizer.

5

Pfizer: Três doses administradas para crianças de 6 meses a 4 anos de idade. As duas primeiras doses devem ser administradas com 21 dias de intervalo e a terceira dose 8 semanas após a segunda dose. Não, crianças entre 6 meses e 4 anos de idade que tenham um grau de imunossupressão moderado ou grave não devem receber uma dose primária adicional neste momento. Não, um reforço de mRNA não é recomendado para crianças de 6 meses a 4 anos de idade neste momento. 3

Moderna: Duas doses administradas com 28 dias de intervalo para indivíduos com 6 meses de idade ou mais

Sim, pessoas com 6 meses de idade ou mais, com grau de imunossupressão moderado ou grave, devem tomar uma dose adicional 28 dias após terem recebido a segunda dose.

Não, neste momento, o reforço de mRNA não está autorizado para crianças de 6 meses a 17 anos que receberam a vacina da Moderna como sua série primária.

3

Sim. Para estar com todas as doses em dia, recomenda-se tomar uma dose de reforço da vacina de mRNA três meses após a última dose.

Indivíduos com 18 anos de idade ou mais devem tomar uma segunda dose de reforço de mRNA quatro meses após a primeira dose.

5

Johnson & Johnson: Uma dose, autorizada para indivíduos com 18 anos de idade ou mais

Sim, pessoas com 18 anos de idade ou mais, com grau de imunossupressão moderado ou grave, devem tomar uma dose adicional da vacina de mRNA 28 dias após terem recebido a primeira dose da J&J.

Sim. Para que indivíduos com 18 anos de idade ou mais estejam com todas as doses em dia, recomenda-se tomar uma dose de reforço da vacina de mRNA dois meses após a última dose.

Se você tomou a primeira dose e a dose de reforço da J&J, uma segunda dose de reforço da vacina de mRNA deve ser administrada quatro meses após a primeira dose de reforço.

4

Perguntas frequentes

Eu tenho que receber a mesma marca de vacina na dose de reforço?

Você pode receber uma vacina diferente da que você recebeu na série primária em sua dose de reforço. O CDC tomou a decisão após uma cuidadosa revisão dos últimos dados (Moderna, Johnson & Johnson, misturas e combinações das doses de reforço) e uma discussão sólida e definitiva em torno das doses de reforço.

Pessoas com até 17 anos de idade podem receber apenas a vacina da Pfizer na dose de reforço.

Por que as doses de reforço são importantes?

As doses de reforço ajudam na proteção contínua contra doenças graves para pessoas com alto risco de desenvolver complicações causadas pela COVID-19. As doses de reforço foram previamente recomendadas às pessoas com alto risco de desenvolver a forma grave da COVID-19, mas agora a recomendação se tornou mais ampla, incluindo indivíduos com 5 anos de idade ou mais, a fim de aumentar a proteção contra a doença da COVID-19.

Isto é muito importante, principalmente por causa do surgimento de outras variantes contagiosas e do aumento de casos de COVID-19 nos Estados Unidos.

As vacinas contra COVID-19 que são autorizadas ou aprovadas nos Estados Unidos ainda são muito eficazes na redução dos riscos contra a forma mais grave da doença, hospitalização e óbito, e até mesmo contra as variantes. Mas, ainda assim, a diminuição da proteção contra a doença ao longo do tempo pode estar associada às vacinas atuais. Doses de reforço aumentarão a proteção induzida pelas vacinas contra COVID-19 e ajudarão com uma maior duração da imunidade.

Ainda está sendo administrada a série primária?

Sim. A vacinação de todos que se qualificam para a série primária (uma dose da vacina contra a COVID da Johnson & Johnson ou duas doses da Pfizer ou Moderna) continua sendo prioridade máxima. As taxas de hospitalização são de 10 a 22 vezes maiores em adultos não vacinados em comparação aos que foram vacinados. As pessoas vacinadas têm uma probabilidade muito menor de desenvolver uma forma mais grave da doença, ou até mesmo adoecer, devido à COVID-19, em comparação àquelas que não são vacinadas. As vacinas também podem ajudar a evitar que as pessoas adoeçam e desenvolvam sintomas de longo prazo, relatados por até 50% daqueles que adoecem devido à COVID-19.

Se precisamos de doses de reforço, significa que as vacinas não estão sendo eficazes?

Não. As vacinas atuais contra a COVID-19 existentes nos Estados Unidos são muito eficazes para prevenir a forma grave da doença, hospitalização e morte, até mesmo contra as variantes. Porém, os especialistas em saúde pública estão observando uma redução na proteção contra a forma leve e moderada da COVID-19, especialmente entre a população de alto risco.

Se eu não receber uma dose de reforço, ainda estou totalmente vacinado?
  • Uma pessoa está completamente vacinada duas semanas após receber todas as doses recomendadas da primeira série da vacinação contra a COVID-19.
  • Uma pessoa está em dia com a vacinação contra a COVID-19 caso tenha recebido todas as doses recomendadas da primeira série de vacinação e todas as doses de reforço, quando elegível.
Como posso comprovar que sou elegível para uma dose de reforço?

Você pode comunicar que é elegível para uma dose de reforço. Não é necessário comprovar com uma recomendação de um profissional de saúde.

Leve seu cartão de vacinação até seu ponto de vacinação para a dose de reforço, assim o provedor poderá confirmar se você recebeu a série de vacinas de duas doses da Pfizer. Se você não tiver seu cartão, o provedor poderá consultar seu registro.

Qual é a diferença entre uma dose adicional e uma dose de reforço da vacina?
  • A dose adicional é para pacientes que completaram uma série de duas doses de vacina de mRNA (Pfizer ou Moderna) mas não tiveram uma resposta imunológica suficientemente forte.
  • A dose de reforço é para os pacientes que, após a série inicial de vacinas, tiveram uma provável diminuição na imunidade ao longo do tempo.

Atualmente, recomenda-se a dose de reforço da vacina contra a COVID-19 aos grupos a seguir.

  Quem receberá a vacina Quando receberá a vacina
Dose adicional

Pessoas com imunossupressão e que receberam uma vacina de mRNA de duas doses contra a COVID-19 devem receber uma dose primária adicional.

Pelo menos 28 dias após a administração da segunda dose da vacina de mRNA contra a COVID-19 ou após a dose única da vacina da Johnson & Johnson. A dose adicional após a dose única da J&J deve ser de uma vacina de mRNA.
Dose de reforço Pessoas com 18 anos ou mais que receberam a vacina contra a COVID-19 da Johnson & Johnson nas séries primárias.

Pelo menos dois meses após a primeira dose.

Para pacientes com grau de imunossupressão moderado a grave, pelo menos 2 meses após a dose adicional (segunda dose).

Pessoas com 5 anos ou mais que receberam a vacina contra a COVID-19 da Pfizer-BioNTech nas séries primárias.

Pelo menos cinco meses após a administração de sua segunda dose de uma vacina de mRNA.

Para pacientes com grau de imunossupressão moderado a grave, pelo menos 3 meses após a dose adicional (terceira dose).

Pessoas com 18 anos ou mais que receberam a vacina contra a COVID-19 da Moderna nas séries primárias.

Pelo menos cinco meses após a administração de sua segunda dose de uma vacina de mRNA.

Para pacientes com grau de imunossupressão moderado a grave, pelo menos 3 meses após a dose adicional (terceira dose).

Pessoas com mais de 50 anos de idade e determinados indivíduos imunocomprometidos agora poderão receber uma dose de reforço adicional da vacina de mRNA contra a COVID-19 após quatro meses ou mais desde que tomaram sua última dose de reforço. Após as medidas regulatórias da Food and Drug Administration (FDA, Agência de Administração de Alimentos e Medicamentos) (somente em inglês), o Western States Scientific Safety Review Workgroup (Grupo de Trabalho de Análises Científicas de Segurança dos Estados do Oeste) se pronunciou para se manter alinhado com as recomendações atualizadas do Centers for Disease Control and Prevention (CDC, Centro de Controle e Prevenção de Doenças) sobre doses de reforço adicionais (somente em inglês).

O que significa imunossupressão em pacientes?

Pessoas com imunossupressão e que receberam uma vacina de mRNA de duas doses contra a COVID-19 devem receber uma dose primária adicional.

Se você tiver qualquer uma das seguintes doenças relacionadas à imunossupressão de moderada a grave, poderá se beneficiar de uma dose adicional da vacina contra a COVID-19. Isso inclui pessoas que:

  • Estão recebendo tratamento de câncer ativo para tumores ou cânceres de sangue;
  • Receberam um transplante de órgão e se encontram em terapia medicamentosa para suprimir o sistema imunológico;
  • Receberam um transplante de células-tronco nos últimos dois anos ou se encontram em terapia medicamentosa para suprimir o sistema imunológico;
  • Têm imunodeficiência primária moderada ou grave (como a síndrome de DiGeorge ou a síndrome de Wiskott-Aldrich);
  • Têm a infecção por HIV na forma avançada ou não tratada;
  • Encontram-se em tratamento ativo com corticosteroides em altas doses ou outros medicamentos que podem suprimir a resposta imunológica.

Embora as vacinas existentes sejam 90% eficazes contra a maioria das variantes do vírus, os estudos mostram que as pessoas com imunossupressão de moderada a grave nem sempre desenvolvem uma imunidade forte. A terceira dose não é considerada um reforço, mas uma dose adicional para aqueles que não desenvolveram imunidade adequada com a série de duas doses.

O que são condições médicas preexistentes?

Pessoas de qualquer idade com as condições listadas abaixo (apenas em inglês) são mais propensas a desenvolverem a forma grave da COVID-19. A forma grave da doença significa que uma pessoa com COVID-19 pode:

  • Ser hospitalizada;
  • Necessitar de cuidados intensivos;
  • Precisar de um respirador mecânico para auxiliar na respiração;
  • Vir a óbito.

As vacinas contra a COVID-19 (doses iniciais e reforços) e outras medidas preventivas contra a COVID-19 são importantes, especialmente se você tem idade avançada ou apresenta condições médicas diversas ou graves, incluindo as que estão nesta lista. Esta lista não inclui todas as possíveis condições médicas que o colocam em maior risco de desenvolver a forma grave da COVID-19. Se você tem uma condição médica que não está incluída aqui, fale com o seu prestador de assistência médica sobre a melhor maneira de cuidá-la e proteger-se da COVID-19.

  • Câncer
  • Doença renal crônica
  • Doença hepática crônica
  • Doença pulmonar crônica
  • Demência ou outros problemas neurológicos
  • Diabetes (tipo 1 ou 2)
  • Síndrome de Down
  • Problemas cardíacos
  • Infecção pelo HIV
  • Estado de imunossupressão (sistema imunológico enfraquecido)
  • Problemas mentais
  • Sobrepeso e obesidade
  • Gravidez
  • Doença das células falciformes ou talassemia
  • Fumante, atual ou não
  • Transplante de órgãos sólidos ou de células-tronco sanguíneas
  • Doença cerebrovascular ou AVC, que afeta o fluxo sanguíneo para o cérebro
  • Distúrbios devido ao uso de substâncias
  • Tuberculose
Quantas doses da vacina (mRNA) da Pfizer-BioNTech ou da Moderna são necessárias para pessoas com grau de imunossupressão moderado ou grave? E quais são os fabricantes que fornecem vacinas de mRNA contra a COVID-19 para a série primária?
  • Para a vacina contra a COVID-19 da Pfizer-BioNTech, a segunda dose para pessoas com grau de imunossupressão moderado ou grave é administrada 21 dias (3 semanas) após a primeira dose; a terceira dose é administrada com um intervalo mínimo de 28 dias (4 semanas) após a segunda dose; e, agora, a recomendação para a administração da quarta dose (dose de reforço) é pelo menos 3 meses após a terceira dose.
  • Para a vacina contra a COVID-19 da Moderna, a segunda dose para pessoas com grau de imunossupressão moderado ou grave é administrada 28 dias após a primeira dose; a terceira dose também é administrada pelo menos 28 dias após a segunda dose; e, agora, a recomendação para a administração da quarta dose (dose de reforço) é de pelo menos 3 meses após a terceira dose.
  • Uma segunda dose de reforço da vacina Pfizer-BioNTech pode ser administrada a indivíduos com 12 anos de idade ou mais em certas situações de imunossupressão pelo menos quatro meses após receber a primeira dose de reforço de qualquer vacina contra a COVID-19 autorizada ou aprovada. Da mesma forma, uma segunda dose de reforço da vacina Moderna contra a COVID-19 pode ser administrada pelo menos quatro meses após a primeira dose de reforço a indivíduos com 18 anos de idade. Essas situações de imunossupressão incluem pessoas que foram submetidas a transplante de órgãos sólidos ou que vivem com condições que são consideradas como um nível equivalente de imunossupressão.
Quantas doses são recomendadas para pessoas com grau de imunossupressão moderado ou grave que tomaram a vacina da J&J/Janssen para a série primária?
  • A dose adicional (segunda dose) é administrada pelo menos 28 dias (quatro semanas) após a dose única da J&J/Janssen. A dose de reforço (terceira dose) é administrada pelo menos 2 meses após a dose adicional da vacina de mRNA.
  • A dose adicional deve ser uma vacina de mRNA contra a COVID-19, que também é a preferência para a dose de reforço devido a preocupações relacionadas ao risco elevado da síndrome de trombose com trombocitopenia (TTS) causada pela vacina da J&J/Janssen. A TTS é um evento adverso raro, mas grave, que forma coágulos sanguíneos ou causa problemas com coagulação.
  • Adultos que receberam uma dose inicial e uma dose de reforço da vacina Janssen da Johnson & Johnson há pelo menos quatro meses agora poderão receber uma segunda dose de reforço da vacina de mRNA contra a COVID-19.
Qual é a justificativa para a redução do intervalo da dose de reforço (de 5 para 3 meses) para pessoas com grau de imunossupressão moderado ou grave?

É possível que pessoas com grau de imunossupressão moderado ou grave não desenvolvam imunidade protetora com a série primária de vacinas, mesmo ao receber as doses iniciais da vacina de mRNA recomendada. Também é mais provável que esses indivíduos sofram uma redução da imunidade protetora ao longo do tempo e, por isso, podem precisar da dose de reforço antes do intervalo normal. Dados iniciais de diversos estudos com pequenos grupos de participantes mostraram que pessoas com grau de imunossupressão moderado ou grave geralmente voltam a desenvolver níveis elevados de anticorpos após a dose de reforço, se administrada em um intervalo inferior a 5 meses. Não houve evidências que causassem outras preocupações de segurança. Atualmente, há uma rápida disseminação de COVID-19 acontecendo nos Estados Unidos, e as exposições causadas pelas pessoas infectadas com o vírus são difíceis de evitar. Por isso, a administração da dose de reforço o quanto antes é um critério prudente ao se tratar de indivíduos com um risco muito alto de desenvolver complicações graves pela doença.

As pessoas com grau de imunossupressão moderado ou grave precisarão de receita/prescrição médica ou outro tipo de documentação para receber essas doses?

Não. Os indivíduos poderão fornecer um documento de identificação pessoal para receber todas as doses em qualquer local em que as vacinas estão sendo administradas. Isso ajudará a evitar obstáculos adicionais ao acesso às vacinas para esta população. Caso os indivíduos imunossuprimidos tenham dúvidas sobre sua condição específica, eles podem conversar com seu provedor de assistência médica para saber se a dose adicional é indicada para eles.